Muito bem meninas!!! É já hoje (dia 08 até dia 18 deste mês) que abre o Open Beta para Wildstar. A malta do WASD, claro, já andou por Nexus em betas anteriores e como tal temos um vasto leque de informações para vos dar. A resposta à pergunta “O que é Wildstar?” chega aqui e agora. Preparem-se para uma antevisão tão intensa, tão explosiva, tão bera e de tal forma épica que fez com que a minha gata fosse assaltar um banco e esmurrar um golfinho no jardim zoológico.

Mas afinal o que é o WILDSTAR?

Desenvolvido pela Carbine Studios e publicado pela NCSOFT, trata-se de um MMO. Este foi pela primeira vez anunciado no dia 17 de Agosto na Gamescom, com o trailer em cima, e terá duas formas de pagamento. A primeira consiste no habitual pagamento mensal com o qual adquirimos 30 dias de jogo. A segunda forma, permite aos jogadores a aquisição de um item (C.R.E.D.D) que confere esses mesmos 30 dias, só que utilizando o dinheiro do jogo. Esta mesma forma permite também que esse mesmo item seja vendido a outros jogadores no Commodities Exchange.

Os eventos de Wildstar têm lugar num planeta recentemente descoberto chamado Nexus. Outrora habitado pelos Eldan, uma raça altamente avançada mas que desapareceu misteriosamente, este planeta é agora disputado por duas facções, os Exile e os Dominion. Os Dominion consistem num vasto império intergaláctico, tão meticuloso como cruel e que decidiu que o Planeta Nexus lhes pertencia. Quem se cruzar no seu caminho será, evidentemente, destruído. No lado dos Exiles, encontramos foragidos, foras-da-lei, enfim… Um grupo composto por renegados e refugiados de várias pontos do universo que viram as suas casas destruídas pelos Dominion. Juntando forças eis que nasceram os Exiles. Ambas as facções têm como objectivo encontrar e controlar a tecnologia perdida dos Eldan e na imagem em baixo podem ver as raças que fazem parte de cada uma:

nNB2o5W

Quais são as Classes que podemos escolher?

Mais do que a raça dos nossos personagens, temos também de saber qual a classe que vamos escolher. Como ainda pode levar um pouco até chegarmos a nível 50, convém que o façamos com uma classe com a qual gostemos de jogar. Mas isso, claro cai no senso comum, certo? Continuemos, então. No que diz respeito às classes serão 6 e são as seguintes:

  • Warrior – Se gostam de espancar e esquartejar tudo o que vos aparece à frente, esta poderá ser a classe para vocês. Empunhando uma enorme Power Sword e armado com Heavy Armor, o warrior estará sempre na fila da frente contra… bem, tudo. Esta classe melee, além de DPS pode também ter a especialização de Tank.
  • Spellslinger – Esta classe dá uso à sua enorme agilidade para se manter à distância dos seus inimigos e para se movimentar no campo de batalha. Com uma pistola em cada mão, esta classe tanto pode ter a especialização de DPS como a de Healer onde poderá curar os seus companheiros com… um tiro certeiro na cara. É para o vosso bem, não sejam mariquinhas.
  • Esper – Esta é a segunda Ranged Class e recorre ao poder de criar ilusões para enganar, controlar e esviscerar os seus inimigos. Com a sua Psy-Blade nas mãos, o Esper é símbolo de que a mente prevalece sobre qualquer matéria. Já alguma vez viram uma espécie de rato, com uma lâmina nas mãos e uma aranha como animal de estimação? Eu já… Não foi bonito. Além de DPS os Espers podem também ser exímios Healers, nomeadamente em Single-Target (isto já na minha opinião).
  • Engineer – O que é que robôs e espingardas têm em comum? Nesta classe… tudo. O Engineer além de ter robôs como animais de estimação, tem também, para se defender, nada mais nada menos do que uma espingarda. Quando tudo o resto falha, nada como pregar um valente tiro nos co%!#& de alguém para que tudo fique melhor. Além de utilizar Heavy Armor, penso que esta classe está mais do que apresentada. Fora a especialização de DPS, esta classe também pode oferecer, e muito bem, os seus serviços como Tank.
  • Stalker – Se gostam de acção furtiva, de andar em stealth o tempo todo (mesmo que demorem mais de 20 minutos, quando podiam demorar apenas 5 a chegar a um objectivo, simplesmente porque podem) e se gostam que todos fiquem fartos de vocês e deixem de querer fazer duelos convosco… Esta é a vossa classe, rapaziada. E claro que não estão sozinhos nisso. Em Wildstar, o Stalker empunha perigosas garras que irá utilizar para esquartejar os seus inimigos sem que estes sequer percebam o que lhes aconteceu. Esta classe, além de DPS pode também assumir o papel de Tank e isto chegou de facto como algo nunca visto numa classe deste género.
  • Medic – Com um ressonador em cada mão o Medic chega ao campo de batalha como classe de suporte, Healer, ou ofensiva, DPS. Para curar os seus companheiros, o Medic recorre a sondas, auras e aos seus ressonadores, com habilidades que podem afectar o próprio campo de batalha. Já como DPS este é provavelmente o médico com o qual não querem marcar uma consulta, uma vez que as coisas podem ficar literalmente chocantes.

O que é isso de Caminhos?

Escolhida a raça e a classe falta finalmente escolher o caminho que o nosso personagem vai escolher. Ao todo são 4 os caminhos disponíveis e cada um tem a sua forma de interagir com o vasto mundo que é Nexus.

  • Explorer – Gostam de Jumping Puzzles? Gostam de ser os primeiros a ir em direcção ao desconhecido? Este será o caminho para vocês. Como explorers vão descobrir percursos secretos, descobrir relíquias do passado, escalar as mais altas montanhas onde deixarão a vossa marca e terão acesso a paisagens deslumbrantes. Mapas? Isso é para meninos…
  • Soldier – Malta da pesada, este é para vocês. Preparem-se pois como soldados terão o simples mas espectacular objectivo de rebentar, incinerar, desfazer tudo o que aparecer à vossa frente. Construam postos de armamento dos quais poderão retirar armas experimentais altamente avançadas e experimentá-las nos infelizes dos vossos inimigos. Ganhem acesso também a missões de sobrevivência onde às vezes até podem descobrir bosses especiais.
  • Settler – Gostam de deitar mãos à obra? Literalmente? Então este é o caminho para vocês. Como Settler vão construir e por vezes reconstruir arenas, hospitais, tabernas, mas também serão os únicos a poder construir plataformas que vão garantir buffs bem duradouros e úteis para vocês e para os vossos companheiros. E certos locais podem até reconstruir outposts onde terão acesso a quests especiais.
  • Scientist – Gostam de conhecer todo o lore que envolve o mundo onde jogam? Gostam de perceber e conhecer toda a fauna e flora à vossa volta? Gostam de saber como tudo funciona? Conhecimento é poder pessoal e assim o Scientist é para vocês. Com a ajuda do vosso Scanbot vão poder analisar e descobrir vários dos segredos que se escondem em Nexus. Quem sabe o que se esconde atrás daquela porta ou no íntimo de certas criaturas extra-terrestres? Se sobreviverem até lá, talvez vocês venham a saber tudo isso.

Jogabilidade: Movimento e Combate

A jogabilidade é um dos aspectos em que Wildstar mais brilha. Comecemos pelo movimento. Com toda a versatilidade que as classes prometem, no que diz respeito ao grau de mobilidade que nos é oferecido, este é bastante aliciante. Podemos dar saltos duplos e se carregarmos no Shift o nosso personagem corre mais depressa, com o Sprint. Duas componentes tão simples mas que podem fazer uma grande diferença a explorar os vastos cenários de Nexus ou em combate com as criaturas que o habitam.

Em termos de combate as coisas tornam-se mais complexas. Wildstar utiliza um sistema de Telegraphs. Estes consistem em áreas de efeito que são apresentadas no chão e podem ter várias cores. Isto permite-nos saber onde vão cair os ataques dos nossos inimigos e habilidades de suporte dos nossos aliados. Consoante a situação podemos, temos a capacidade de desviar para os lados ou então o já mencionado Sprint. À primeira vista, os Telegraphs podem parecer algo newb-friendly, certo? Desenganem-se, o timing terá de ser muito bem calculado, tanto para atacar como para aplicar uma habilidade de suporte. Assim, saber onde precisamente onde as nossas habilidades (e as dos nossos adversários) vão cair pode fazer uma enorme diferença. É muito mais complicado do que parece e torna os combates sempre dinâmicos, onde o mínimo erro pode custar-nos caro. Claro que se sentirem bastante confiantes com as vossas capacidades, podem sempre desactivar este sistema.

Como vai ser o PVP?

O PVP. Aquela componente onde podemos realmente separar o trigo do joio. Aquela componente que transforma Keyboard Turners, Backpeddlers e Clickers em autêntica carne para os nossos canhões! Ao todo serão cinco, as formas que terão à vossa disposição para provar o vosso valor:

  • World PVP – As duas facções não foram criadas para que possam apanhar flores em conjunto e resolver as vossas divergências. Não. Estas foram feitas para que possam cobrir o chão dos vários cenários de Nexus com os vossos inimigos. Por isso, como os Metallica bem dizem, Seek and Destroy!
  • Duelos – Caso queiram experimentar a viabilidade das vossas builds, ou se quiserem provar-se contra alguém 10 níveis abaixo de vocês (já vi muita coisa, demasiada coisa, pessoal…) podem, sempre fazer duelos contra amigos e desconhecidos.
  • Arenas – Para a malta mais competitiva surge, então este modo. As Arenas podem ser 2v2, 3v3 e 5v5 e em todos estes modos é-vos oferecida mais do que uma oportunidade para derrubar a equipa adversária. Uma segunda, ou até terceira, oportunidade é algo que até agora nunca se viu nesta componente e sem dúvida que torna as coisas mais interessantes.
  • Battlegrounds – Porque às vezes guerrear sozinho não tem graça nenhuma, surgem os Battlegrounds a componente onde praticamente todos gritam e quase nunca ninguém tem razão. As lutas serão feitas em grupos de 10 e o primeiro Battleground fica disponível a nível 8. Além das diferentes táticas exigidas por cada um, esta componente surge como uma óptima alternativa para fazer level up.
  • Warplots – Se tiverem uma guild e quiserem mostrar que são realmente superiores esta será a vossa praia. Neste modo vocês e 39 amigos podem comprar um Warplot. Uma base de operações, a qual poderão armar e armadilhar, se conseguirem até podem capturar Bosses que ajudarão a defender ou atacar a base inimiga. Quando tudo estiver a vosso gosto preparem-se para batalhas Warplots contra Warplots, onde ganham os grupos mais coordenados e preparados. Mas não se preocupem se não tiverem um grupo com tantas pessoas. Podem sempre juntar-se à festa como mercenários, só que aí as recompensas não serão tão boas.

O que é isso de Housing?

Ora bem o Housing representa a componente que vos permite ter a vossa própria casa. Terão acesso a um espaço e toda a área está sujeita à vossa imaginação. Acreditem que as possibilidades são praticamente infinitas. Esta será a componente onde, se quiserem claro, poderão perder imensas horas a dar largas à vossa imaginação. O que vão construir e como? Só vocês sabem. Este espaço será o vosso recreio e se precisarem de inspiração podem sempre visitar as casas de outros jogadores! Para terem um exemplo do que se pode criar deixo alguns exemplos em baixo.

Como vai ser a progressão do nosso personagem?

Como mencionei em cima, o nível máximo será 50. Para lá chegar existem várias formas de ganhar pontos de experiência. O mais simples e comum a todos os MMOs é o Questing. Este confesso que é o que menos me atrai em Wildstar. Apesar de uma incrível jogabilidade e de ser um mundo visualmente fantástico, as quests acabam por ser demasiado lineares. Completar quests resulta em pontos de experiência mas também, claro, em recompensas, como armas e peças de armadura.

À medida que vão explorando podem desbloquear Challenges. Como o nome indica isto consiste em desafios (que fazem scale com o número de jogadores que estão convosco) e os objectivos podem variar entre matar um determinado número de criaturas ou capturar um certo número de objectos. Completando estes desafios além dos pontos de experiência podem também obter outras recompensas.

Vão também encontrando, se estiverem atentos, naves onde podem entrar. Aqui são transportados para uma pequena Dungeon que se adapta até um máximo de 5 jogadores. A primeira pode ser encontrada a nível 12. Andar em grupo é também uma mais valia, não só pelos pontos de experiência aumentados (pois a dificuldade também aumenta, porreiro não é?) mas também pelo facto de ganharem Renown. Os pontos de Renown podem ser utilizados para comprar uma série de itens e só podem ser obtidos trabalhando em grupo.

De seguida, temos as Adventures e Dungeons. Muito basicamente as Adventures consistem em simulações onde são os jogadores que escolhem o percurso e a forma como se desenrola a história dentro delas. Por muitas vezes que as façam há sempre algo novo que pode acontecer. A primeira adventure pode ser desbloqueada a nível 15 e é para cinco jogadores.

Quanto às Dungeons, estas representam alguns dos maiores desafios que podemos encontrar neste título. A isso junta-se um incrível grau de dificuldade (acreditem que é elevado), onde o mínimo erro pode custar muito caro. Nelas vão perceber um pouco mais da história da zona onde estão colocadas e terão de ultrapassar uma série de confrontos com criaturas e os tradicionais Bosses. São também para 5 jogadores e a primeira fica disponível a nível 20. Finalmente, atingindo o nível máximo terão à vossa espera uma enorme variedade de Raides, onde vos aguardam o máximo dos desafios que Wildstar tem para oferecer.

Veredicto do que sabemos até agora

Como podem ver no trailer já em cima, as portas já estão oficialmente abertas. Não viram? Eu espero… Já está? Ok. Wildstar apresenta-se como um MMO de grande peso no género e será lançado com um incrível grau de conteúdo, talvez até o maior de há alguns anos. Apesar das quests serem algo lineares, um facto é que alternativas não faltam e explorá-las com amigos pode ser altamente gratificante. Com uma jogabilidade fresca e inovadora, os combates são sempre dinâmicos e intensos onde grande parte dos erros acontecem devido à nossa inexperiência, algo que com a prática será, sem dúvida, corrigido. Apesar de “cartoonesco” não se deixem enganar. Nexus é sem dúvida um mundo que merece ser explorado, recheado de segredos e paisagens incríveis. Nós no WASD vamos andar por lá neste Open-Beta para vos trazer sempre as últimas novidades. Por isso, fiquem atentos!