Depois de um lançamento desastroso em 2010, de uma forma geral mal aclamado pela crítica especializada, Final Fantasy XIV entraria posteriormente num largo processo de relançamento com o jogo a conhecer um hiato de longa duração. Em 2013, o MMO da Square Enix voltou ao activo com um novo subtítulo: A Realm Reborn.

O seu lançamento no PC e PS3 foi muito bem recebido, desta vez com vários órgãos da comunicação social a considerarem-no como o MMORPG do ano passado. Os jogadores acorreram ao jogo em massa e a versão PC foi, sem dúvida, a mais elogiada e a mais bem conseguida.

Na Playstation 3, o mundo de Eorzea corria bem mas com texturas bem inferiores a nível gráfico àquelas que eram possíveis de alcançar num computador com bons requisitos.  Talvez por isso, e com base no lançamento bem sucedido de 2013, a Square Enix decidiu apostar num lançamento do seu MMO na mais recente consola da Sony, a PS4. Um lançamento marcado para o dia 14 de Abril na Europa e que marcará o primeiro ingresso de um JRPG nesta consola.

A minha experiência na beta da PS3 deixava-me um pouco reticente face a este upgrade para a PS4. O controlo era estranho, não muito intuitivo e a parte gráfica revelava um claro downgrade face à versão do PC. Foi com esse estigma que me juntei aos milhares de jogadores que tiveram, durante esta semana, acesso à beta da PS4 pela primeira vez.

Embora na versão PS4 tenha jogado com o recurso ao Dualshock 4, fiquei mais apaziguado quando percebi que era possível jogar também aqui com rato e teclado. Perdoem-me os mais vanguardistas, mas para mim jogar um MMO terá sempre de acontecer dessa forma. Também a capacidade de puxar o ecrã de jogo para PS Vita parece funcionar de forma particularmente fluída para um jogo online. Embora, pelos menos nesta versão beta, com uma configuração de botões ligeiramente trocada comparando com a versão japonesa do jogo (as teclas X e O com funções invertidas e diferentes daquilo a que habitualmente estamos acostumados por cá).

Este MMORPG acaba nesta adaptação à PS4 por usar praticamente todas as capacidades do DualShock 4 à excepção da função Move. O Touch Pad é utilizado para movimentar a seta daquilo que é habitualmente o rato no ecrã e, com, o premir da tecla Share, podemos partilhar com os nossos amigos vídeos de Final Fantasy XIV na hora.

Contudo, é no departamento gráfico que A Realm Reborn impressiona na PS4 estando esta versão muito próxima da versão PC e a funcionar plenamente dentro dos 1080p. Não obstante, parece não existir razão para, à primeira vista, os jogadores do PC mudarem para esta versão.

Por sua vez, os da PS3 terão enormes razões para usufruírem do serviço de transferência de serviço de uma consola para a outra. A diferença entre ambas as versões é enorme e não existem quaisquer custos para usufruir deste upgrade da versão da PS3. Serviço esse que estará disponível a partir de dia 11 de Abril. Após executarem esta transferência para a PS4, os jogadores devem ter em conta que a mesma é permanente e deixarão de ter acesso à conta na PS3.

A open beta de Final Fantasy XIV: A Realm Reborn na PS4 vai continuar disponível até à próxima segunda-feira, dia 3 de Março. Depois existirá uma nova fase de open beta já mais próximo do lançamento do MMO da Square Enix e que decorrerá de dia 4 de Abril até ao dia 7 de Abril. Encontramo-nos por lá!