Mais infoProdutora: CapcomEditora: CapcomLançamento: 18/09/2018Plataformas: , , , Género: ,

Numa jogada inesperada, a Capcom decidiu lançar um pacote com alguns dos títulos mais importantes do género beat ‘em up da década de 90. Aqueles que faziam encher os salões de jogos com bolsos cheios de moedas, só para conseguir meter o nome no top 10.

Apesar da Capcom não ter criado este género em questão, é inegável a sua importância nestes tipo de side scrollers. Jogos como Double Dragon ou Golden Axe ajudaram a definir as bases, no entanto, foi só com a chegada de Final Fight em 1989 que o género ganhou popularidade. Desde então, o trabalho da Capcom só veio a melhorar com inúmeros títulos baseados na mesma fórmula, muitos deles a fazer as delícias nas arcadas, outros em consolas caseiras. Este pacote traz consigo sete jogos que marcaram presença nas arcadas. Felizmente, aqui não precisam de moedas.

Os jogos incluídos são Final Fight (1989), Captain Commando (1991), The King of Dragons (1991), Knights of the Round (1991) e Warriors of Fate (1992), estes tendo em tempo também uma versão para as consolas domésticas da altura. Além destes, contam também com a adição de Armored Warriors (1994) e Battle Circuit (1997), inéditos em consola e que se estreiam agora fora das arcadas.

Apesar de ser uma boa oferta de jogos clássicos, acho que a Capcom perdeu aqui uma oportunidade de criar um pacote mais definitivo. Pode relacionar-se com alguma restrição de licenças, mas tenho de mencionar omissões notáveis como é o caso de Cadillacs & Dinossaurs ou Alien VS Predator, só para nomear dois que me recordo no momento.

Cada um destes jogos necessitaria de uma análise individual. Seja pelo seu impacto histórico ou mecânicas ainda hoje, trinta anos depois, divertidas. Descrever a jogabilidade destes títulos é bastante simples e, ao mesmo tempo, extremamente complicado. São simples, porque a estrutura mantém-se inalterada em cada um deles, levando-nos a avançar da esquerda para a direita (com algumas raras excepções) e a agredir tudo o que se mexe ao som de socos, pontapés e barras de ferro a bater nos dentes. Uma jogabilidade simplista e acessível a qualquer idade ou tipo de jogador, experiente ou não.

A parte difícil de descrever, é quando toca a explicar por palavras a adrenalina que sentimos quando chegamos a um boss com a ajuda de um amigo e a satisfação que atingimos depois de o derrotar. Isto, ficando com uns míseros pixeis disponíveis em cada uma das barras de vida. Esse é o verdadeiro sentimento de trabalho de equipa, bastante difícil de transmitir aqui, numa era em que os jogos eram francamente mais desafiantes.

Final Fight é, sem dúvida, o título mais popular de todo este bundle. Foi o primeiro a ser lançado pela Capcom no longínquo ano de 1989. No plano visual, será o que menos vos impressionará. No entanto, foi graças a este jogo e ao seu sucesso que a produtora começou a apostar neste género. Dois anos após o seu lançamento, foram lançados três obras-primas inspiradas na sua jogabilidade, Captain Commando com um tema mais futurista, The King of Dragons com um um sistema rudimentar de evolução da personagem principal e sua inédita quantidade de armas e Knights of the Round, que introduziu a habilidade de parry, a habilidade de bloquear um ataque inimigo e contra-atacar.

Warrior of Fate chegou poucos meses depois, apanhando a transição para 1992, agora já com evidentes melhorias no motor de jogo, incluindo melhor grafismo, melhores efeitos sonoros e a possibilidade de apanhar armas do chão. A grande variedade de personagens jogáveis, tornava a longevidade deste título bastante melhor. Apesar de ter sido lançado mais tarde para a PlayStation e para a SEGA Saturn, foram exclusivos do Japão. A probabilidade de só agora jogarem este título pela primeira vez, é bastante grande.

Por fim, temos Armored Warriors e Battle Circuit, dois títulos que se estreiam agora em consolas domésticas. Viram a luz do dia em 1994 e 1997, respectivamente, quando este tipo de jogos já saturavam as arcadas. Muitos acharam que a Capcom já tinha feito tudo o que poderia ser feito no género. Mas este dois títulos surpreenderam. Entre as novidades, estava um nível de personalização nunca visto. Armored Warriors, substituía os protagonistas por gigantes mechs e dava-nos a possibilidade de mudar e alterar a armadura para obter diferentes efeitos e melhorias, mudando por completo o seu estilo de luta.

Contudo, estas melhorias não evitaram um decréscimo no interesse dos fãs. Battle Circuit ainda se mantém como o último Beat ‘em up da Capcom a ter direito a uma versão de arcada. Além da monotonia inerente deste estilo de jogos e à extrema semelhança entre eles, o prazer de os voltar a jogar nestes tempos modernos permanece inalterado. E o que é mais curioso é que a experiência de jogo pode até ser melhor, graças à adaptação deste bundle às características das consolas actuais.

A nível técnico, a qualidade do trabalho da Capcom para reviver todos os jogos presentes nesta compilação é muito positiva. Existe ainda alguns jogos com uma dupla versão, a que nós conhecemos no ocidente e a versão original japonesa, estas com diferenças que oscilam entre as insignificantes e as consideráveis. É de assinalar nas versões japonesas o seu nível de dificuldade mais alto e a presença de adversários nunca vistos em Captain Commando e Final Fight.

No menu de opções é possível escolher o numero de jogadores, até um máximo de quatro, locais ou online, o número de vidas e também o nível de dificuldade. Há ainda uma secção de extras que vai tendo o seu conteúdo desbloqueado à medida que vão concluindo os jogos. Aqui, podem ver imagens conceptuais e arte promocional de todos os títulos. Muito deste conteúdo nunca antes foi revelado, sendo basicamente material para os fãs mais sérios.

Veredicto

Como já foi demonstrado antes com o 30º aniversário de Street Fighter, quando a Capcom decide fazer uma colecção com os seus títulos históricos, o resultado é sempre bom. Não só pelo conteúdo em si, mas também pelo cuidado notório com que as colecções são compiladas. Capcom Beat ‘Em Up não é excepção, trazendo sete jogos que ajudaram a definir todo um género. Com mais de 20 anos, conseguem ainda hoje manter-se divertidos e desafiantes, mesmo com todas as semelhanças entre si. Para os fãs do género ou para quem quer visitar um importante pedaço de história, representa uma compra essencial.

Partilhar
Artigo anteriorAnálise – Shadow of the Tomb Raider
Próximo artigoAnálise – Forza Horizon 4