Mais infoProdutora: Japan StudioEditora: SIELançamento: 02/10/2018Plataformas: , Género:

Depois de se focar em alguns jogos de terror e shooters para o PlayStation VR, a Sony decide apostar num jogo de plataformas no mesmo conceito que Moss. Veremos se Astro Bot: Rescue Mission tem o que precisa para destronar esse título dos nossos preferidos.

Certamente já conhecem os simpáticos Astro Bot. Se recuarmos até 2013, irão lembrar-se deles na experiência gratuita The Playroom que servia maioritariamente para mostrar as funcionalidades do DualShock 4 em conjunto com a PlayStation Camera. Três anos mais tarde, a acompanhar o lançamento do PlayStation VR, surgiu The Playroom VR, com o mesmo conceito mas, desta vez, direccionado para a Realidade Virtual. Em todos os mini-jogos, os simpáticos Astro Bot marcaram presença. No entanto, houve uma aventura em particular que se destacou e acabou por evoluir para um título original. É essa a aventura que vamos analisar agora.

Vamos assumir o papel de um novo herói, Astro, o capitão de uma nave espacial. Este tem como objectivo salvar a sua tripulação que se perdeu em vários planetas. Esta situação deve-se ao encontro imediato com um alienígena. Para recuperar toda a sua tripulação, terão de desbloquear e ultrapassar 26 níveis espalhados em 5 mundos diferentes. Claro que nada disto será facilitado, com muitos perigos e até bosses gigantes pelo caminho. E é só isso que precisam saber.

Em cada um dos níveis existem oito Astro Bots para salvar. Alguns podem estar logo no nosso campo de visão e outros requerem alguma atenção e olhar em todas as direcções, por vezes até mesmo para trás de nós. Obviamente, com o progresso, começa a ser cada vez mais difícil encontrá-los. Para além desta missão principal, em cada nível há um camaleão (muito bem escondido) que desbloqueia mais alguns desafios como derrotar um boss sem perder vidas ou passar todo o nível num determinado espaço de tempo.

Tal como qualquer outro jogo de plataformas, a dificuldade é progressiva, vai apresentando inimigos mais difíceis ao longo da aventura mas todos podem ser derrotados com um só ataque. Onde estará o maior desafio é no final de cada mundo, onde há um boss para derrotar. Para o conseguirem enfrentar têm de ter resgatado um número específico de Astro Bot, o que poderá levar-vos a repetir alguns níveis.

Para ajudar na aventura, há níveis que oferecem alguns gadgets que são facilmente acedidos pelo Touchpad do Dualshock 4 e ajudam a passar algumas plataformas. Entre eles, existe uma mangueira que dispara água, ideal para níveis cheios de plantas, um atirador de estrelas ninja capaz de criar obstáculos para o Astro subir e também um gancho que permite fazer pontes e puxar algumas plataformas para passar.

É inegável que Astro Bot: Rescue Mission é um jogo simplista e direccionado para os mais novos. Digo isto por várias razões mas sobretudo pelo nível de dificuldade. Os inimigos são facilmente derrotados e não há vidas para esgora, à excepção dos combates com os bosses. Contudo, a grande aposta neste jogo é a realidade virtual. Mesmo que a experiência de jogo seja simples, graças ao PSVR vamos participar mais directamente na acção, algo que irá agradar a miúdos e graúdos.

O movimento da câmara é totalmente livre e os jogadores podem escolher a perspectiva que preferirem para acompanhar o pequeno robot. É como um brinquedo que estamos a controlar remotamente, por vezes inclinando o corpo para espreitar por todos os cantos. O pequeno Astro tanto pode estar sobre a nossa cabeça como atrás de nós. A câmara tem um papel fundamental no desenrolar da acção. E, tal como no já mencionado Moss, cria um conceito de exploração diferente para os jogadores.

Todo o jogo é uma agradável viagem pelo potencial da Realidade Virtual. Embora não estejamos a ver a acção pelos olhos do robot, estamos a acompanhar tudo imergidos no jogo. Felizmente, não houve um momento em que tenha sentido nauseas, mesmo usando o Dualshock 4. E, devido à sua simplicidade, diria que é ideal para ser a primeira experiência com o PSVR. Representa muito bem o que é possível fazer com a tecnologia e irá certamente apaixonar qualquer fã de jogos plataformas.

Visualmente, é um jogo repleto de cores vivas e os diferentes temas de cada planeta estão muito bem criados, sejam eles de meios aquáticos, plantas ou uma sombria caverna, com o mundo em nosso redor cheio de vida. As plantas, por exemplo, respondem aos movimentos de Astro e os restantes seres amigáveis têm total noção da nossa presença. E o mesmo acontece ao pequeno protagonista que nos segue com o seu olhar e por vezes até chama pela nossa atenção.

Veredicto

Não pude deixar de comparar Astro Bot: Rescue Mission com Moss, lançado no início deste ano, porque ambos partilham algumas ideias e mesmo com a sua simplicidade são capazes de criar grande momentos de diversão. Astro Bot, por seu lado, traz mais umas quantas ideias e revela-se como uma clara evolução dos jogos de plataformas. Como já disse, é uma excelente primeira experiência para o PlayStation VR. Se quiserem ver uma criança feliz neste Natal, ofereçam-lhe este título. Mas… pais, aproveitem para jogar ao lado dela, porque é bem possível que também se tornem fãs.

Partilhar
Artigo anteriorAnálise – FIFA 19
Próximo artigoAnálise – Assassin’s Creed: Odyssey